Venha calcorrear as veredas utilizadas por animais selvagens, respirar o ar puro, sentir as diferentes fragrâncias e os odores da vegetação, apreciar o silêncio a ser perturbado pelo sons das aves e dos insetos, estender o olhar para ver paisagens de cortar a respiração, e tudo isto enquanto pratica exercício… No Cerro da Cabeça.

O Cerro da Cabeça situa-se a menos de 10 km a Noroeste de Olhão, é uma área de reconhecido valor ambiental como prova a sua classificação como Sítio de Importância Comunitária pela rede de proteção da natureza no espaço da União Europeia, a Rede Natura 2000. O que permite proporcionar aos visitantes experiências de turismo de natureza de elevada qualidade como a visitação de um monumento geológico natural constituído por formações de rocha calcária com relevo cársico, que constituem a maior área de lapiás no sul do país com inúmeras grutas que servem de abrigo a diferentes espécies de morcegos.
Abelharuco - Merops apiaster

Constituem fatores de interesse da flora deste local a presença da vegetação nativa que sofreu pouca ou nenhuma influência humana como os Carrascos (Quercus coccifera) típicos da vegetação do Barrocal, a Roselha-grande (Cistus albidus), a Cebola-albarrã (Urginea maritima), a Palmeira-anã (Chamaerops humilis) o Medronheiro (Arbutus unedo), e o Narciso (Narcissus calcicola).


Como atrativos na fauna encontram-se a presença permanente ou temporária de variadíssimas aves como a Poupa (Upupa epops), o Picanço (Lanius senator), o Abelharuco (Merops apiaster), o Chasco (Oenanthe leucura), a Águia-d’asa-redonda (Buteo buteo) além de outros animais como o Sapo corredor (Epidalea calamita), o Morcego-de-ferradura-mourisco (Rhinolophus mehelyi), o Saca-rabos (Herpestes ichneumon), a Lagartixa ibérica (Podarcis hispanicus) ou a Borboleta-dos-Medronheiros (Charaxes jasius).

21648965305_08d27327b7_o
Photo credit: Yogendra174 / Visualhunt / CC BY
Charaxes jasius - Borboleta do Medronheiro

5044159578_64e9b228e3_o
Photo credit: Sonja & Roland / VisualHunt / CC BY

A riqueza geológica de maciços calcários e a abundância de material lenhoso fez, em tempos idos, surgir nesta zona a indústria da cal, com bastante tradição no Algarve e que terá relação com as heranças culturais deixadas pelos árabes que durante séculos dominaram este território. Existem no Cerro da Cabeça duas ruínas de fornos de cal, ainda em relativo bom estado de preservação, testemunhos dessa indústria que outrora constitui uma importante fonte de rendimento para as populações locais.

Cerro da cabeça
Rocha calcária VI

Reserve Agora

  • Distância: 5,8 km
  • Tipo: Circular
  • Duração: 3 horas
  • Preço: 25€/pax

Mapa

Mapa da Rota do Cerro da Cabeça

Vistas espetaculares e miradouro histórico.

Reserve Agora